OUÇA rádioTS

SEU ESPAÇO

SEU ESPAÇO

PROGRAMAS DA RTS

PROGRAMAS DA RTS

domingo, 20 de janeiro de 2019

Na próxima sexta-feira (27), o planeta Terra vai passar pelo mais longo eclipse lunar do século. Será 1h42 de fase total – quando o satélite ficará inteiro "escurinho" – acompanhado de um fenômeno chamado "Lua de sangue". Esse fenômeno, que dá à Lua um tom avermelhado, é provocado pelos mesmos fatores que fazem o céu ser azul.No eclipse, Sol, Terra e Lua ficarão alinhados, e nosso planeta bloqueará a passagem dos raios solares até o satélite. A forma como as cores são "desviadas" ao passar pela atmosfera e a posição dos astros criarão o tom vermelho.
https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/ao-vivo/eclipse-com-superlua-e-lua-de-sangue-siga.ghtml

O número de mortos pela explosão de um oleoduto na cidade de Tlahuelilpan, no estado de Hidalgo, na região central do México, subiu para 85 neste domingo. "Tinhamos anunciado de manhã que eram 79 mortes, mas, nas últimas horas, outras seis pessoas morreram, totalizando 85, explicou em entrevista coletiva o ministro de Saúde do México, Jorge Alcocer. Cidade do México, 20 jan (EFE).- O número de mortos pela explosão de um oleoduto na cidade de Tlahuelilpan, no estado de Hidalgo, na região central do México, subiu para 85 neste domingo. "Tinhamos anunciado de manhã que eram 79 mortes, mas, nas últimas horas, outras seis pessoas morreram, totalizando 85", explicou em entrevista cole... - Veja mais em https://www.bol.uol.com.br/noticias/2019/01/20/numero-de-mortos-em-explosao-de-gasoduto-no-mexico-sobe-para-85.htm?cmpid=copiaecola
O técnico do Palmeiras, Luiz Felipe Scolari, passou mal durante a entrevista coletiva após o empate em 1 a 1 com o RB Brasil, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Sentindo cólica intestinal, Felipão pediu desculpas aos jornalistas, se levantou com dificuldade e foi embora.– Gente, desculpa, não dá mais – disse o treinador, de 70 anos, que teve uma infecção intestinal, foi medicado e já se encontrava melhor ao chegar à Academia de Futebol, em São Paulo, onde passará a noite sob observação do médico do clube.
Ainda em Campinas, ele interrompeu uma resposta sobre sua conversa com Dudu, que era assediado pelo futebol chinês, mas renovou contrato até 2023.– Eu falei para ele o que tenho falado a todos vocês. Se é para ir pra China, tem de saber para que time vai – afirmou Scolari, ex-técnico do Guangzhou Evergrande.Enquanto conseguiu suportar a dor, Felipão encurtou as respostas, mas deu uma informação importante: no próximo jogo, quarta-feira, diante do Botafogo-SP, vai mudar sete ou oito jogadores em relação ao time que entrou em campo na estreia.– Tenho mais quatro jogos, no mínimo, para ir dando condições a eles. Vamos fazer o que temos de fazer. O campo era bastante fofo hoje, vamos rodar já no próximo jogo sete ou oito jogadores. Vamos dando condições até quem sabe no quinto ou sexto jogo estarmos prontos.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

PRIMEIRO DIA DO NOVO PRESIDENTE

OA DESAFIOS NA ECONOMIA, E O QUE DIZEM OS ESCOLHIDOS DE BOLSONARO


Os ministros do governo Bolsonaro assumem seus postos. Paulo Guedes defende pilares da economia. Na Justiça, Moro diz que Brasil não será 'porto seguro' para criminosos. Novo chanceler fala em grego e ataca a ordem global. Ministra diz que acabou a 'doutrinação ideológica de crianças e adolescentes'. As primeiras medidas do novo presidente. E a bolsa atinge o maior nível da história.No 1º dia do governo Bolsonaro, 18 dos 22 novos ministros assumiram seus cargos. O presidente participou das cerimônias de 5 deles: 4 que vão trabalhar diretamente no Palácio do Planalto e o ministro da Defesa. Os ministros da CGU, AGU e do Desenvolveimento Regional tomam posse nos próximos dias, e o presidente do BC, que também tem status de ministro, será sabatinado e precisa ter o nome aprovado pelo Senado.'Superministro' da Economia, Paulo Guedes reafirmou que o Brasil precisa da Reforma da Previdência, que será um dos 'pilares da nova gestão', e disse que o país parou de crescer por causa do excesso de gastos.

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

REVELLON NO RIO TEVE MAIS TURISTAS QUE CARIOCAS

Pela primeira vez, segundo indica estudo da Riotur divulgado na tarde desta terça-feira (1º), a
 Cidade do Rio registrou um número absoluto superior de turistas em relação ao de cariocas 
durante o réveillon 2019.Funcionários da prefeitura percorreram a Praia de Copacabana e conversaram com 303 pessoas, entre cariocas e turistas de idades entre 18 e 55 anos de
 ambos os sexoSComo resultado, os dados revelaram que 56% do público no ano novo era
 de turistas, e 44% eram moradores da cidade e Região Metropolitana do estado.
Fogos marcaram a chegada do Ano Novo em Copacabana, no Rio de Janeiro. — Foto: AP /Leo CorreaFogos marcaram a chegada do Ano Novo em Copacabana, no Rio de Janeiro. — Foto: AP /Leo Correa
A estimativa a prefeitura é de que 2,8 milhões de pessoas tenham ido a Copacabana, sendo que,
 destes, 1,4 milhão eram turistas; 155 mil deles estrangeiros e 1.245 mil de outras cidades do
 Brasil.
Entre os 155 mil turistas estrangeiros que visitaram a cidade, a Riotur 
informou que os argentinos e os chilenos são os destaques em primeiro e segundo lugar na lista.
 Já com relação aos turistas brasileiros, o principal emissor é São Paulo, seguido por Minas Gerais.

BOLSONARO EVELA SALÁRIO A $ 998


Decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e 
publicado nesta terça-feira (1º) em edição
 extra do "Diário Oficial da União" fixou o salário mínimo
 em R$ 998 neste ano. O valor atual é

 de R$ 954.Com isso, o valor ficou abaixo da estimativa 
que constava do orçamento da União,
 de R$ 1.006. O orçamento foi enviado em agosto do ano
 passado pelo governo 
Michel Temer ao Congresso.O que a equipe econômica do governo Michel Temer dizia 
é que a inflação de 2018 (um dos fatores que determinam o
 valor) vai ser menor que o 
projetado anteriormente - quando foi proposto salário
 mínimo de R$ 1.006 em 2019.
De acordo com informações do Departamento
 Intersindical de Estatística e Estudos
 Sócioeconômicos (Dieese), o salário mínimo serve de 
referência para o rendimento de 
cerca de 48 milhões de trabalhadores no Brasil.